Usando Mapas Mentais No Estudo Para Concursos

Achar uma técnica de estudos ou de anotações que sirva perfeitamente para você é difícil. Muitas são as possibilidades e nem todas as técnicas servem para qualquer um.

Então, se você não achou a sua ainda, ou está procurando uma alternativa que pode ser mais produtiva que a que você usa no momento, dê uma olhadinha nos Mapas Mentais.

Mapas mentais são diagramas que ajudam a organizar informações de forma visual e hierarquizada. O termo surgiu há mais de 4 décadas, apesar do formato poder ser visto antes disso. O criador formal da técnica foi o psicólogo e apresentador Tony Buzan, que lançou esse método em seu programa de TV “Use sua Cabeça”, lá pelos idos de 1974.

Apesar de quarentona, a técnica de mapas mentais pode ser o que você está procurando para organizar seus estudos e melhorar seu rendimento. Especialmente se você está começando seus estudos ou retomando-os depois de algum tempo.

Tem um estudo publicado no periódico Medical Education que diz haver 10% de melhoria na capacidade cognitiva e na memória de quem usa esse método sobre estudantes que preferem os métodos tradicionais de estudo. Já usei muito essa técnica e percebi melhoria signitificativa nos meus alunos. Então recomendo!

O que é?

Mapas Mentais são uma forma de fazer anotações, diferente da forma tradicional linear, sendo que as informações são estruturadas em uma forma que mais se aproxima do jeito que as informações estão no seu cérebro. Fazer um mapa mental engaja o raciocínio analítico e o artístico, usando, assim, os dois hemisférios cerebrais.

O resultado disso é uma melhora cognitiva e um turbo na memória!

Uma das características mais importantes dos mapas mentais é que podem ser feitos sobre qualquer assunto, de forma rápida. Olha um exemplo aqui:

Como começar?

Não importa se você está usando um aplicativo ou uma folha de papel. Comece pelo centro e escreva o nome do projeto ou do tópico do mapa mental. Puxe linhas e ligue a subtópicos ou assuntos subordinados. Lembre-se que os mapas mentais são organizados de forma hierárquica.

Esses “nós” podem ter “filhos”, então crie subsubtópicos. Você pode criar quantas gerações/níveis quiser. Vá formando uma estrutura de árvore e no final vai ter uma estrutura ampla e densa. Aí você começa a colorir/sublinhar os “filhos”. Uma cor para jurisprudência, uma para doutrina e outra pra lei seca, por exemplo.

Seja criativo e use o espaço para realmente mapear tudo que conseguir pensar sobre esse tópico.

Não se preocupe, você vai desenvolver seu próprio estilo e seus mapas mentais serão fáceis de você entender.

Se estiver usando um aplicativo, faça backup do seu mapa!!

Vantagens

As vantagens dos mapas sobre sistemas tradicionais de anotação são muitas!

  • Primeiro, por permitir a associação natural dos conceitos. Isso significa que mais ideias e conceitos serão organizados no mesmo tempo de uma anotação tradicional.
  • Você consegue, também, ligar as ideias e conceitos de forma a perceber as relações quando for revisar suas notas. Conectou? Na hora de revisar é só seguir as setas!
  • Uma das coisas mais interessantes, no entanto, é a possibilidade de adicionar imagens, anexos, links e outros recursos que ajudarão mais tarde. O seu mapa mental pode virar um repositório de conteúdo sobre aquele assunto.
  • Se você usar um aplicativo, poderá ajustar, incluir, formatar e reorganizar de forma rápida e fácil. Aprendeu novos conceitos que se referem ao tema? Adicione fácil!
  • Psicologicamente falando, mapas mentais desgastam menos que notas tradiconais! Então, dá pra estudar mais tempo sem ficar lélé da cabeça.
  • Pau pra toda obra: mapas mentais servem para fazer anotações de uma aula, sobre a lei seca, resolução de questões e até mesmo tudo isso junto!
  • Fácil para revisar: mapas mentais são ótimos para revisar o conteúdo estudado. Se você usa o sistema de ciclos de estudo, seu mapa mental pode ser uma excelente forma de revisar o que foi estudado no pequeno ciclo. Se você não usa, pode revisar o conteúdo da semana ou do mês.
  • Além disso tudo, há impacto significativo na memória. Criar um mapa mental ajuda a fixar as informações, especialmente se você estiver trabalhando sempre nele!

Os 5 melhores mapeadores mentais

Esses são os aplicativos que mais gostei, de todos que testei. E não tem jeito: nenhum é melhor do que o Freemind, que está disponível para Windows, Mac e Linux. Ele é amplo e possui diversas formas de organizar, apresentar e exportar seus mapas e é livre. Dá uma olhada!

Mas, se quiser testar outros aplicativos, aqui estão:

Se você não se der bem com mapas mentais, não se preocupe! Poderá tentar as notas Cornell ou os melhores aplicativos de anotação!

Delchi Bruce estudou Relações internacionais e é professor de cursinho desde 2008. É apaixonado por formas de melhorar a produtividade e ser mais eficiente. É gestor de conteúdo do Mapa da Prova, ferramenta de estudo para concurseiros. Usa linux (openSUSE) desde 1999 e faz trade de bitcoin todo dia.
Você pode entrar em contato por aqui.
Compartilhar Comentários